Nossa missão primordial é formar cidadãos que sejam capazes de orientar suas vidas e suas carreiras de forma equilibrada e feliz, atendendo não só às suas necessidades e expectativas na vida adulta, assim como às necessidades e expectativas da sociedade onde estão inseridos.


Hoje, o perfil solicitado pelas empresas para contratação passa por características pessoais que permitem ao colaborador aprender continuamente (Conhecimento - Saber), aplicar esse conhecimento para resolver problemas, para criar e inovar (Habilidade – Saber Fazer), assim como sua capacidade de alcançar metas, agregar valor e obter excelência ao trabalho executado (Atitudes – Querer fazer). Esta noção de competência orienta a estratégia de contratação, de qualificação e determina a remuneração dos trabalhadores. Também é decisiva no perfil empreendedor, motivado pela auto-realização, pelo desejo de assumir responsabilidades e ser independente.


Ensinar a empreender e a aprender são os maiores legados que uma Escola pode oferecer aos seus alunos.


A Escola Prof. Luiz Rosa utiliza a Metodologia de Projetos em todos os níveis de ensino, possibilitando que o foco do processo educativo esteja na aprendizagem.
O desenvolvimento das disciplinas segue proposta modularizada e interdisciplinar. A interatividade e a participação do aluno, através da elaboração, apresentação e análise de projetos, propiciam a construção coletiva do conhecimento e o desenvolvimento de atitudes e comportamentos que nortearão sua vida acadêmica e profissional.

Nossa instituição orienta sua proposta a partir dos quatro pilares da educação, que são conceitos fundamentais baseados no Relatório para a Unesco da Comissão Internacional sobre Educação para o Século XXI, coordenada por Jacques Delors. No relatório, editado sob a forma do livro – Educação: Um Tesouro a Descobrir –, a discussão dos quatro pilares ocupa todo o Capítulo 4, onde se propõe uma educação direcionada para os quatro tipos fundamentais de aprendizagem: Aprender a Conhecer, Aprender a Fazer, Aprender a Viver com os outros e Aprender a Ser:


  • | Aprender a Conhecer |

Significa combinar cultura geral com a possibilidade de trabalhar em profundidade um pequeno número de matérias. O que também significa Aprender a Aprender para beneficiar-se das oportunidades oferecidas pela educação ao longo de toda a vida.


  • | Aprender a Fazer |

Permite adquirir, não somente uma qualificação profissional mas, de uma maneira mais ampla, competências que tornem a pessoa apta a enfrentar numerosas situações e a trabalhar em equipe, mas também aprender a fazer, no âmbito das diversas experiências sociais ou de trabalhos que se oferecem, quer espontaneamente, fruto do contexto local ou nacional, quer formalmente, graças ao desenvolvimento do ensino alternado com o trabalho.


  • | Aprender a Viver |

Juntos desenvolve a compreensão do outro e a percepção das interdependências – realizar projetos comuns e preparar-se para gerir conflitos – no respeito pelos valores do pluralismo, da compreensão mútua e da paz.


  • | Aprender a Ser |

É fundamental para melhor desenvolver a sua personalidade e estar à altura de agir com cada vez maior capacidade de autonomia, de discernimento e de responsabilidade pessoal. Para isso, não se deve negligenciar na educação nenhuma das potencialidades de cada indivíduo: memória, raciocínio, sentido estético, capacidades físicas, aptidão para comunicar-se.


| Histórico |

A Escola Prof. Luiz Rosa foi fundada em 4 de maio de 1917 pelo Professor Luiz Felippe da Rosa. Desde então, a Escola atua no setor educacional de ensino médio e profissionalizante de nível técnico.Nascido no Rio de Janeiro, o Professor Luiz Felippe da Rosa, desde o final do século, vinha exercendo funções docentes e administrativas em Colégios do Estado de São Paulo, chegando a fundar uma Escola em Campinas em 1906. No ano de 1917, exercia as atividades de vice-diretor do Colégio Hydecroft nesta cidade. Uma escola de grande prestígio no estado, mas que estava encerrando suas atividades. Resolveu então dar início ao velho sonho de dirigir sua própria escola, no que foi muito bem sucedido.Seu primeiro endereço foi à Rua Barão de Jundiaí, 844, prédio que viria abrigar, mais tarde, a primeira Escola Normal de Jundiaí, transferindo-se posteriormente para a Praça D. Pedro II, conhecida como Jardim das Rosas, onde esteve até sua morte em 1930.Sob a direção dos professores Sebastião Augusto de Miranda e Dna. Clotilde Copeli de Miranda, a escola mudou-se para a Rua do Rosário, 667, onde permanece até hoje, embora tenha atravessado o quarteirão em 1970 e fixado seu endereço à Rua Senador Fonseca, 1182.

Autorizada a funcionar em 20 de junho de 1918 pelo então Diretor de Instrução Pública, Sr. Oscar Thompson, inicialmente a escola oferecia cursos propedêuticos e regime de internato e semi-internato e, a partir de 1923, revelava sua verdadeira vocação ao constituir-se como Sucursal da Escola de Comércio do Rio de Janeiro, passando a formar Peritos Contadores.
Em 1954, a Escola foi adquirida pela família Leme do Prado, sendo dirigida pelos professores José Leme do Prado e José Leme do Prado Filho. Após a morte do professor José Leme do Prado, em 1968, passaram a responder pela direção o General Newton Brayner Nunes da Silva e o Major Evaporê Machado até 1972, quando assumiu a direção o professor Fernando Leme do Prado, que permanece até hoje.Ao curso técnico em Contabilidade, introduzido em 1926, vieram se somar os cursos técnicos em Administração e Secretariado em 1973, técnico em Publicidade em 1976 e Processamento de Dados em 1981.Em 1982, a Escola adotou o regime de matrícula por disciplina no sistema semestral, sendo uma das poucas escolas no país a operar neste sistema que é característico dos centros desenvolvidos. A Escola manteve durante muitos anos o curso ginasial equivalente ao 1º Grau ou 5ª a 8ª series do Ensino Fundamental, entretanto seu trabalho contínuo ocorreu na formação de técnicos de nível médio, já tendo formado mais de 25.000 alunos ao longo de seus mais de noventa e cinco anos de existência.Foram seus professores algumas das mais significativas personagens da história jundiaiense, como o Dr. Mário Guimarães, que foi Ministro do Supremo Tribunal Federal, e o Prof. João Luiz de Campos, autor do "Novíssimo Dicionário da Língua Portuguesa", e o Dr. Ulisses Nutti Moreira, renomado advogado em nossa região. Além destes, pode-se observar um grande número de escolas de nossa cidade com o nome de educadores que trabalharam neste estabelecimento de ensino. Em 2000 a Escola Prof. Luiz Rosa se torna também Centro de Educação Tecnológica e, a partir de 2002, a Instituição passou a oferecer os Cursos Superiores de Tecnologia em: Gestão Financeira, Gestão de Recursos Humanos, Gestão de Publicidade e Mídia, Gestão de Logística, Desenvolvedor para a Web. A partir de 2004 o Mec alterou a denominação dos “Centro de Educação Tecnológica” para “Faculdade de Tecnologia”. Simultaneamente, “o Rosa” passou a oferecer os cursos de: Gestão Ambiental, Gestão em Logística, Gestão da Produção, Gestão em Sistemas de Informação e Gestão de Marketing de Varejo. Em 2011, após a separação dos cursos superiores, a Escola Prof. Luiz Rosa retoma o ensino fundamental e amplia sua ação na formação profissional oferecendo também cursos livres e ensino a distância.